Pesquisa de mercado de carne cultivada (carne baseada em células)

Pesquisa de mercado de carne cultivada (carne baseada em células)

A produção de carne tem estado sob os holofotes por suas questões éticas e impacto ambiental há anos. Acres de terra são dedicados à criação de gado e gado, o que pode afectar a produção agrícola e a fertilidade da terra.

Consequentemente, o mercado introduziu a Carne Cultivada ou à Base de Células para criar mudanças e introduzir novas melhorias na indústria da carne. No entanto, o Mercado de Carne Cultivada recebeu uma reação mista dos produtores e consumidores de carne.

Embora tenha um início difícil, espera-se que este mercado cresça nos próximos anos, à medida que desperta mais interesse com a promessa de produzir carne e outras proteínas com recursos mínimos necessários e menores chances de contrair doenças de origem alimentar.

O que é carne cultivada?

A Carne Cultivada, também conhecida como Carne Baseada em Células, é produzida pelo cultivo direto de células animais para produzir carne animal real e outras proteínas. As células utilizadas provêm de células-tronco animais, que são então organizadas de forma semelhante ao tecido do animal.

Este arranjo permite que a Carne Cultivada retenha a textura, o sabor e o valor nutricional de uma proteína animal normal. Empresas e laboratórios recriam com sucesso proteínas de diferentes animais, garantindo uma seleção mais ampla para consumo público.

Benefícios da pesquisa de mercado de carne cultivada

O mercado de carne cultivada cai na área cinzenta da indústria alimentícia, já que a proteína cultivada em laboratório é altamente incomum. É aqui que entra a Pesquisa de Mercado de Carne Cultivada para fornecer dados e informações criteriosas para os investidores determinarem a viabilidade do mercado.

Basicamente, beneficia esses empresários, ajudando-os a compreender como funciona o Mercado de Carnes Cultivadas e como ele pode se adaptar a cada lugar, levando em consideração os consumidores, o meio ambiente e as políticas impostas. Para explicar melhor, aqui está um detalhamento dos benefícios que uma pesquisa de mercado de carne cultivada tem:

  • Descubra se há demanda na área – Proteínas cultivadas em laboratório são consideradas tabu em muitos países. Ter pesquisas dedicadas para estabelecer se as pessoas estão ansiosas ou se opõem à Carne Cultivada pode ajudar os investidores a determinar se há uma demanda real.
  • Políticas governamentais que podem ou não intervir na introdução do Mercado de Carne Cultivada – A pesquisa do Mercado de Carne Cultivada permite que os investidores tenham insights sobre políticas governamentais que podem restringir ou proibir a produção e venda de carne baseada em células em seus respectivos territórios.
  • Compreensão profunda da Carne Cultivada e seu mercado – Os investidores podem estar relutantes em entrar no Mercado de Carne Cultivada porque é um segmento de nicho incomum da indústria alimentícia. A pesquisa ajudará a explicar e esclarecer informações que os investidores possam querer saber.
  • Determine as estratégias de marketing apropriadas – A pesquisa é fundamental para orientar os empreendedores na segmentação de seu público e nas etapas eficazes para alcançá-los e, ao mesmo tempo, mitigar qualquer possível erro.
  • Verifique a concorrência do mercado – A pesquisa ajuda a determinar a posição de cada concorrente no mercado, o que permite aos investidores se posicionarem melhor.

Tendências e oportunidades no mercado de carnes cultivadas

O cenário da indústria alimentícia continua mudando com a introdução de novos produtos, tecnologias e metodologias. Influencia a ascensão e queda dos principais intervenientes, por isso é essencial que as empresas se mantenham a par de quaisquer desenvolvimentos e mudanças no mercado.

  • Prevê-se que o mercado de carne cultivada cresça à medida que empresas e laboratórios esperam produzir comercialmente proteínas baseadas em células.
  • Cingapura foi o primeiro país a aprovar Carne Cultivada para venda comercial, acessível ao público para compra. O primeiro restaurante a servir Carne Cultivada, o restaurante de 1880, também está localizado em Cingapura. Espera-se que outros restaurantes sigam o exemplo com a integração de proteínas de base celular em seu cardápio.
  • A Food and Drugs Administration (FDA) autorizou e aprovou a carne cultivada para consumo humano, explicando que ela é produzida com segurança em um ambiente controlado. Dizia-se que o cultivo de proteínas cultivadas em laboratório era semelhante à fabricação de cerveja.
  • Geralmente, as proteínas cultivadas em laboratório são mais saudáveis e seguras. Por ser feito de células-tronco, não existem órgãos internos. Isso significa que a Carne Cultivada evita qualquer contaminação cruzada, o que às vezes acontece no abate da carne. Não são injetados agentes de engorda ou hormônios de crescimento, práticas comuns em algumas fazendas de gado e gado.
  • Com a FDA dando luz verde à carne cultivada para consumo humano, as empresas estão mais interessadas em produzir melhor, abrindo novas oportunidades de carreira para cientistas e colaboradores talentosos. Curiosamente, também pode aumentar a procura de cientistas e chefs de alimentos para encontrar formas de imitar o sabor, a textura e o aroma da proteína animal real.
  • O Mercado de Carnes Cultivadas pretende cobrir o máximo possível de proteína animal, incluindo frutos do mar. Também visa atender à população que não consome carne.
  • A carne cultivada requer menos energia e recursos para ser produzida. Consequentemente, significa também que emite menos gases com efeito de estufa em comparação com a carne tradicional, tornando-a uma forma mais sustentável de colher proteína animal.

Desafios do Mercado de Carne Cultivada

Apesar de todas as oportunidades presentes no mercado, existem alguns desafios associados a ele. A maioria das questões relaciona-se frequentemente com a própria carne, levantando questões sobre a sua autenticidade como carne animal, a sua produção e as consequências da sua disponibilidade ao público.

Assim, espera-se que o mercado enfrente os seguintes desafios:

  • Preços não competitivos: A carne cultivada requer cientistas e ferramentas especializadas para produzi-la, o que significa custos de fabricação mais elevados. Porém, existem propostas apresentadas para diminuir o custo da carne baseada em células. Uma delas é reduzir o fator de crescimento e as proteínas recombinantes, substituindo-os por alternativas vegetais e fungos.
  • Produção Lenta: Ao contrário da pecuária tradicional, a produção de Carne Cultivada inclui bioprocessos que exigem habilidades técnicas para completar a proteína animal. Este processo torna a produção de carne tediosa e indisponível para produção em massa. Alguns cientistas e investidores se unem para realizar estudos e experimentos para aumentar a capacidade de produção e manter a qualidade da Carne Cultivada.
  • Obtenção de matéria-prima para cada proteína animal: Nenhuma carne animal tem o mesmo sabor, por isso o desafio é encontrar as matérias-primas adequadas para incorporar em cada célula-tronco.
  • A crítica à Carne Cultivada: Existem muitas opiniões sobre a existência da carne baseada em células e o seu papel como substituto ou alternativa à proteína animal. Alguns expressam forte oposição a ela, alegando diferentes razões, desde o fato de ser antinatural e contra a natureza até a ética questionável do uso de células-tronco para criar proteínas.